Vamos falar de.... Saúde Mental

 

No dia 6 de março, realizou-se uma conversa com uma psicóloga, através do Instagram Live e, posteriormente, uma conversa entre alunos, no âmbito da ajuda psicológica e terapêutica — os mitos e os preconceitos, via Zoom.

 

Em concordância com a edição anterior, “Vamos falar de... Ansiedade”, o Departamento de Desporto e Bem-estar, em conjunto com o Departamento de Política-Educativa, desenvolveu a 2ª edição desta rubrica, proporcionando uma maior proximidade aos profissionais de saúde da área de Psicologia, bem como o contacto e discussão entre alunos sobre este tema. Tendo em conta o sucesso da sessão anterior, os diversos comentários e opiniões favoráveis foram componentes que auxiliaram o seguimento deste projeto.

A realidade pandémica tem evidenciado alguns aspetos negativos, porém veio reforçar a importância da saúde mental e bem-estar psicológico. Esta temática tem um papel fundamental no tempo em que vivemos e, por isso, é necessário assegurar o apoio e acompanhamento necessário à comunidade académica.

 

Assim sendo, no passado dia 6 de março, realizou-se uma conversa live com Dra. Rita Mateus, formada em Psicologia Clínica, que por sua vez foi transmitida em direto na rede social Instagram, no âmbito da ajuda psicológica e terapêutica. Esta conversa teve como objetivo a interpretação do momento e forma de agir perante a possibilidade de auxílio psicológico ou terapêutico, desmistificando o carácter negativo que estes têm vindo a ter. Como mediador desta conversa esteve presente o Vogal do Departamento de Desporto e Bem-Estar da AEFA, Filipe Matias.

Inicialmente, procurou-se perceber a essência da temática, isto é, quais os sinais que devemos ter em conta e/ou quando é que devemos procurar este tipo de ajuda profissional. Face às variadas reações dos estudantes que estavam a assistir, que podem ou não reconhecer estes indícios, a conversa direcionou-se para a identificação dos benefícios e principais virtudes deste acompanhamento psicológico. Por consequência, o diálogo desenrolou-se em torno da procura desta ajuda profissional, compreendendo que, para além da dificuldade das escolhas do local e do profissional, a componente financeira foi algo igualmente relevante para a conversa, sendo que é, muitas das vezes, um impedimento para quem necessita.

Por fim, abordou-se uma problemática existente na procura da ajuda psicológica e terapêutica — o preconceito. Esta preocupação, quase universal, foi encarada de forma a ser desmistificada em várias situações e ambientes sociais, desde com as famílias mais conservadoras aos parceiros e amigos.

Seguiu-se uma conversa informal entre os alunos sobre os efeitos que a pandemia e, por consequência, a quarentena tiveram na sua saúde mental. No decorrer da atividade foram partilhadas experiências e vivências pessoais gerando-se uma conversa rica e reconfortante, num momento em que a solidão e o isolamento estão muito presentes.

O primeiro tema debatido foi a negligência da importância de um bom cuidado com a saúde mental e o pensamento díspar comparativamente com o bem-estar físico. Ao longo da conversa foram mencionados vários fatores adjuvantes ao mal-estar psicológico dos alunos e a falta de apoio e cuidado demonstrado pelos docentes, tendo em especial atenção a situação atual em que vivemos. Ainda assim, foram trocadas ideias e técnicas para diminuir o stress e ansiedade exacerbadas pela atual pandemia.

Concluindo, é necessário realçar o contentamento expressado, pelos alunos, pela especial atenção sobre esta temática e iniciativa. Ficou claro que os problemas e preocupações dos Estudantes são muitas vezes similares e, por isso, o apoio e a comunicação entre todos foram adjuvantes a todos.

A conversa live está disponível na plataforma Instagram da AEFA, permitindo a sua visualização para quem não teve oportunidade de assistir e/ou para quem queira rever com os seus familiares e amigos.